Professor do Colégio Sólido é premiado em concurso literário

16/04/2015

Márcio Adriano Moraes, professor de Literatura do Colégio Sólido, foi um dos premiados no II Concurso Literário da 9ª Femaçã (Festa Nacional da Maçã e Feira Agroindustrial) de Veranópolis/RS, berço nacional da Maçã. Mais de 350 trabalhos estavam inscritos no concurso e passaram pela avaliação da comissão julgadora. O número de inscritos surpreendeu os organizadores, contando com participantes de vários estados, além do Rio Grande do Sul, como Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília e Minas Gerais.

O encontro que definiu os vencedores ocorreu no dia 31 de março. O concurso abrangeu a modalidade Conto, com o tema "Belezas que marcam". Os textos deveriam estar relacionados aos pontos turísticos de Veranópolis. Foram premiados três contos em cada uma das seguintes categorias: infantil, juvenil e adulto. Cada categoria contou com duas menções honrosas.

O escritor montes-clarense recebeu menção honrosa na categoria adulto com o conto "Uma noite em Veraneio". Mesmo sem conhecer a cidade de Veranópolis, Márcio Moraes, através de leituras que fez sobre o local, conseguiu transmitir de forma poética as belezas da "Princesa dos Vales" em seu conto. A premiação ocorreu dia 11 de abril em Veranópolis dentro da programação da 9ª Femaçã.

Leia o conto: 

UMA NOITE EM VERANEIO
Márcio Adriano Moraes
 
Anoiteço. O táxi me esperava na porta. As malas já estavam prontas desde a véspera. Tomo café com pressa. Visto-me como se estivesse indo para um mundo distante. Cumprimento o taxista que me leva até o aeroporto. Subo na máquina flutuante do ar rumo ao sul. As escalas não me interessam, somente o destino. Avisto a serra gaúcha que deslumbra meus olhos. Pouso macio no aeroclube quase septuagenário. Ali me rendo e inicio o meu sonho veraneio pela “Princesa dos Vales”.

O arco, que me chama de amigo, deseja-me boas vindas. Sigo o caminho, apreciando a arquitetura que me transporta para a Europa. Rejuvenesço para me entregar àquela vida que me promete longevidade. Petrifico-me monumentalmente ante ao Pórtico de Entrada, onde gerações da família imigrante italiana oferecem-me uma maçã. Saboreio toda a Floresta Encantada para qual me voo em tirolesa. Em cima do pedalinho, pelo bosque de mata nativa não fujo dos silvestres animais. Jogo com eles uma lúdica partida de futsal.

Corro todo o espeto em Dona Cândida. Alimento meu corpo com o sabor da carne. Um sauvignon me degusta todo o gosto de uva que levo nos lábios. Seguindo o meu tour singular e somente meu, a Vila Bernardi me recebe com braços poéticos. E, ali, troco correspondências em formas de poemas imigrantistas com Mansueto. Suas letras me carregam ao Globo, o qual eu circulo, saudando o Veríssimo e o Quintana de minha terra convalescente. Lembro-me, então, do Incidente mágico de 1971 e vou escorregando-me sobre a Ponte Ernesto Dornelles só para apreciar as Antas daquele rio que lembra Antares.  Da vista do Rio subo ao Espigão do Belvedere para, em seguida, me recuar na história na Gruta Selvagem. Vislumbro, então, Paco Sanches com seu mosquetão em batalha com os caingangues. Não tive medo, mesmo assim, sorrateiramente, disparei-me dali buscando Retiro num Balneário. Banhei-me longamente com água e verde.

No Mirante da Serra, sinto-me em Toronto, girando-me panoramicamente entre vinhos e pizzas. Da torre inunda meus olhos a paisagem noturna da cidade que vai aos poucos me amanhecendo na Pousada dos Três Monges. Deste pouso, contemplo o Parque que me convida ao véu da cascata, cuja água retilínea que cai se dividindo em três feixes entre as pedras do paredão me abençoa, turista do sertão. Lanço-me no verde do vale para sentir o espetáculo da vida natureza que me atiça. Quanta beleza em uma só visita.

Com o estímulo dos monges, persigno-me em São Luiz Gonzaga. Contemplando os arcos ogivais e a rosácea, confesso-me gótico àquelas duas torres. Faço a promessa de que, quando acordar definitivamente da vida, ali terei, verdadeiramente de corpo e alma, sagrando-me à Virgem. E, para firmar tal compromisso, termino minha reza na Gruta de Nossa Senhora de Lourdes. Numa imposição paisagística do templo, minha oração: Je vous salue, Marie, pleine de grâces, le Seigneur est avec vous... Amen.

Amanheço. Três feixes de luz penetram pela janela indo ao meu lençol branco. Levanto da cama e piso no assoalho verde de minha casa. Diante do pequeno oratório de Lourdes, faço minha oração matinal: Ave Maria, cheia de graças, o senhor é convosco... Amém. Da janela do quarto contemplo o Morro Dois Irmãos e a “Princesa do Norte” que está despertando. Sobre a mesa do café, o suco de coquinho e o pão de queijo.

Toda contente, minha esposa, que acabara de acordar, vem até mim com este presságio: “amor, tive um sonho lindo, sonhei que estava em Veranópolis e conheci o Balneário do Retiro, a Gruta Selvagem, o Parque dos Três Monges...” e foi me descrevendo todas as belezas que lhe sonharam.

Vou à biblioteca e volto com o seu livro preferido, Grande Sertão: veredas. Entrego-a. Peço que o abra na página 15. Ela vê uns papéis. Sorrindo, os lê. São as passagens de nossa próxima viagem. Destino: Veranópolis.



Brainatwork TI - Desenvolvimento de Sites e Sistemas Web em Montes Claros - MG

Unidade Avenida
Av. Deputado Esteves Rodrigues, 949
(38) 3222-4580

Unidade São José
Av. Padre Chico, 403 - Centro
(38) 3221-4271

Unidade Santa Maria
Rua Santa Maria, 286 - Todos os Santos
(38) 3221-6605

Sólido Preparatórios
Av. Padre Chico, 403 - Centro
(38) 3221-4271

Sólido Fundamental
Rua Gonçalves Figueira, 118 - Centro
(38) 3212-5989

Unidade Ibituruna Center
Ibituruna Shopping - Bloco C - 3° Andar
(38) 3215-2529

Casa do Aluno
Rua Juca Miranda, 84 - São Luiz
(38) 3081-9040